14° dia – Gramado

14°-dia-–-Gramado

Nesse dia saímos cedo em direção ao templo Budista. Como ele fica na rodovia que vai para Porto Alegre, depois de alguns quilômetros, decidimos voltar e conhecê-lo quando fôssemos embora de Gramado, já que iríamos pegar a mesma estrada.

Na volta paramos na praça das comunicações, onde estava acontecendo a Estação Gramado (até o final de julho) e aproveitamos para fazer um passeio de graça, patrocinado pelo evento, em uma jardineira bem diferente. Não me lembro a data do veículo, mas é bem antigo, parecendo um mini bondinho de madeira.

O motorista muito simpático e com uniforme tradicional, deu uma volta no centro de Gramado enquanto ia explicando os detalhes da arquitetura e os pontos turísticos. Foi interessante por causa do veículo e da explicação, além disso foi de graça. Achei um absurdo o valor de R$ 16,00 cobrados pelo passeio de jardineira mais conhecido na cidade (espécie de ônibus de turismo que passa por alguns pontos turísticos).

Rua Coberta - Gramado
Rua Coberta – Gramado

Dica: se você estiver de carro não há necessidade de fazer o passeio da jardineira. Os pontos turísticos são todos bem próximos. Caso queira um passeio diferente escolha o veículo de madeira ou algum outro passeio diferente em Gramado ou Canela, pois as cidades ficam uma do lado da outra.

Fomos almoçar no restaurante Vany, comida por kg e ótimo custo benefício. Depois saímos para conhecer o Museu do Perfume. Na verdade o local é uma loja que vende colônias e outros produtos (alguns até usam as mesmas fragrâncias de perfumes famosos). O museu mesmo não tem nada demais. São apenas duas prateleiras com alguns frascos de perfumes famosos. Além disso, eles mostram uma apresentação em vídeo sobre o processo de fabricação dos perfumes. Na loja compramos um frasco de colônia, mas ainda assim, saí com a sensação de ter conhecido uma loja e não um museu.

Saindo de lá fomos conhecer o famoso chocolate Prawer. Na verdade, paramos por causa da indicação de um “Museu do Chocolate” que na verdade, como o Museu do Perfume, nada mais é do que um nome para atrair os turistas. Na Prawer não vi nada de Museu, apenas alguns produtos antigos e cartazes, mais parecido como uma coleção de embalagens, mas nada que chamou muito a atenção. O interessante foi visitar a fábrica que fica no mesmo lugar. Depois de colocar uma touca, passamos por dentro da fábrica mesmo e não por vidros como na Florybal. Porém, não tivemos degustação então compramos produtos apenas para provar. Achei o preço muito alto e ainda preferi o planalto. É claro, gosto é gosto, cada um com o seu chocolate preferido! E em Gramado opções de chocolates é que não faltam!

Lojas e rua no Centro - Gramado
Lojas e rua no Centro – Gramado

O frio e a preguiça voltaram, e fomos direto para a pousada Gramadense. Sair de lá para jantar? Não mesmo! Pedimos uma pizza por telefone (pizzaria Mão na Arte) e foi assim que acabou mais um dia de viagem.

Dúvidas? Sugestões? Opiniões? Deixe abaixo o seu comentário.

Leia mais sobre Gramado, Canela e as cidades que visitamos na viagem ao sul do Brasil:

PARTICIPE! DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Por favor informe seu nome aqui