Como visitar o Vale do Colchagua na rota do vinho no Chile

Visitar_Vale_Colchagua_Rota_Vinho

Chile, um dos países mais interessantes para nós, viajantes, conhecermos, vivenciando experiências incríveis na América Latina. Sendo um dos países que não fazem fronteira com o Brasil, ao lado do Equador, a região chilena possui lugares únicos, que precisam ser vistos e presenciados, no mínimo, uma vez por todos os amantes de uma boa viagem.

Entre eles, um dos destaques é o Vale do Colchagua, possuindo as melhores vinícolas da charmosa rota do vinho, um dos principais polos de enoturismo do mundo inteiro. Se você é amante de um bom vinho chileno, venha conhecer um pouco mais desse incrível lugar.

Leia Também => Vinícolas no Chile: Como escolher e visitar por conta própria

Chile: índice completo de posts

Conheça o Vale do Colchagua

Vale_do_Colchagua_Rota_Vinho_Chile

Se pudéssemos indicar o melhor lugar para visitar da rota do vinho no Chile, com toda a certeza do mundo, seria o extenso, cerca de 500 mil hectares de tamanho, Vale do Colchagua. A região, além de possuir a mais interessante e ampla rota do país para viajantes, tem em sua localização as melhores vinícolas, 30 ao total, podendo aproveitar e degustar, em um ambiente totalmente charmoso e estruturado, o que o vinho chileno tem mais gostoso.

O vale é muito bem localizado entre as cordilheiras da Costa e dos Andes e o oceano Pacífico, ficando menos de 200 km ao sul de Santiago, sendo uma facilidade extra para quem pretende viajar para a capital chilena, mas aproveitar o que de melhor a rota do vinho pode oferecer.

A estrada que liga a capital até Colchagua, que é uma viagem que dura entre 2h a 3h, é incrível e merece a atenção dos viajantes. Passar pelas gigantescas montanhas pontudas, cheias de árvores e plantações ou neve, dependendo da estação, com um clima quente, misturando um ambiente seco com uma boa e suave brisa, relembrando a calmaria do interior, é uma experiência que deve ser vivida por todos.

O horizonte e ambiente do Vale do Colchagua são bem românticos e calmos, ótimos para fazer uma viagem em casal e aproveitar cada momento do enoturismo, degustando de um bom e saboroso vinho chileno. A garrafa da bebida, que serão abordadas de maneira mais especifica durante o post, são bem baratas, podendo, até mesmo, levar algumas de presente para amigos e familiares.

A província em si, não é tão aconchegante e com grandes opções de turismo, além da fabulosa rota do vinho com as melhores vinícolas.

Porém, vale a pena dar uma caminhada pelas pequenas ruas e vielas da cidade de Santa Cruz, que é uma comunidade do local, passando pelo Museu Colchagua, que é nada mais, nada menos que uma das maiores coleções de obras artísticas do Chile, com diversas esculturas e objetos históricos, em um ambiente totalmente envelhecido, que parece que estamos, de fato, vislumbrando as obras no século 19 durante a época pré-colombiana. Os amantes de história e artes ficaram deslumbrados.

Além do museu, suba pelo famoso teleférico que leva até ao topo do morro Chamán. Chegando lá, além de poder ter uma visão privilegiada de todo o ambiente em sua volta e poder andar de teleférico, que é uma experiência fantástica, é possível enxergar estrelas em um incrível observatório.

Por que os vinhos são melhores no Vale do Colchagua?

Ao observarmos pela primeira vez os gigantescos vinhedos, espalhados pelas vinícolas e apresentadas no enoturismo da rota do vinho do Vale do Colchagua, além de ter uma visão única e marcante daquele incrível horizonte, é possível entender, e até mesmo vivenciar, a história e herança deixada desde 1550 no Chile, com seu incrível renome nas plantações de uva para vinhos.

O maior motivo da qualidade dos vinhos é o clima e localização de Colchagua. Ao chegar pela primeira vez na região, é possível observar a diversidade de terrenos e a suas boas localizações e cuidados, além da ausência de chuvas e a temperatura variando entre 15ºC e 25ºC durante o ano.

Essas condições entregam várias divisões de microclimas e diversos locais para o plantio ao vale, algo excelente para o bom crescimento e desenvolvimento dos vinhedos. Estar próximo das cordilheiras, do deserto do Atacama e das geleiras, que é uma chamada interessante para os visitantes observarem no horizonte ou em uma possível futura viagem, também é uma qualidade, pois eles funcionam como barreiras naturais às pragas.

A grandeza do Chile na produção e colheita de vinhedos é tão grande e respeitada no mundo inteiro, que região do Vale do Colchagua é uma das poucas a produzir os deliciosos, suculentos e cheirosos vinhos da uva Carménère, valendo muito degustar e sentir seu aroma incrível durante o tour na rota do vinho.

Como ir de Santiago até o Vale do Colchagua?

Vale_do_Colchagua_Trem_Vinho_Chile

Sair da capital Santiago do Chile e chegar até o Vale do Colchagua é uma viagem simpática e amigável, com um horizonte bem bonito ao nosso redor no meio da estrada, porém também é um pouco cansativa, durante nada mais, nada menos que 2h30 a 3h.

Por isso, o bate e volta não é tão recomendado para essa viagem. Vá para o vale, conheça as principais cidades e as melhores vinícolas, depois alugue um romântico e aconchegante hotel para ficar 1 ou 2 dias aproveitando essa simpática região.

Caso não queira percorrer de carro a viagem, existem outras três opções: A primeira é procurar alguma agência turista, que estão espalhadas por muitos cantos da capital do Chile, que faça a viagem, muitas vezes até oferecendo um tour pela rota do vinho.

A segunda, que é a mais interessante e marcante, é o Trem Sabores del Valle, que oferece a viagem bate e volta um sábado por mês, começando de manhã e voltando a noite, de Santiago até a cidade de Santa Cruz por cerca de R$250.

O trem é uma experiência única, tem degustação, música local e um interior bem aconchegante. Além disso, ele para em algumas vinícolas e no Museu Colchagua. A terceira e última é fazer a boa e velha viagem de ônibus. Eles saem do Terminal Sur de Santiago e vão direto para Santa Cruz. Os preços do bilhete variam de R$12 a R$25. Os ônibus são confortáveis, com aquele estilo bem transporte de viagem, com poltronas machias e reclináveis.

Que época fazer a viagem até o Vale do Colchagua?

As melhores vinícolas estarão abertas durante o ano inteiro para os viajantes conhecerem e degustarem o que de melhor o vinho chileno tem a oferecer. Porém, a viagem no inverno, mais especificamente entre os meses de Junho a Setembro, não é recomendada. Nessa época, os vinhedos não estarão em sua principal época de colheita e a experiência pode ser um pouco frustrante.

Já no verão, elas estarão verdes e em seu momento mais vivo, entregando aos viajantes um visual mais bonito, com eles podendo tirar fotos incríveis das plantações com um belo sol ao fundo. Além disso, no verão temos alguns festivais interessantes que ocorrem na região.

Quais as melhores vinícolas para conhecer na rota do vinho do Vale do Colchagua?
O maior foco de nós, viajantes e amantes da América Latina, ao fazer a principal rota do Vinho do Chile, é conhecer as melhores vinícolas para degustar dos vinhos mais saborosos, ver as principais plantações de vinhedos e observar de dentro a grandiosidade, estrutura e beleza delas.

Sem mais delongas, vamos a elas:

Viu Manent

Sendo uma das melhores vinícolas do Vale do Colchagua, a Viu Manent foi fundada e é uma das mais históricas da região, passando essa sensação para os viajantes assim que pisa no local, principalmente pela belíssima exposição sobre a evolução do local e da marca disponível para visualização.

Iniciando o passeio pelos vinhedos, começamos a sentir a grandiosidade do local. As plantações das mais diferentes uvas e diversos terrenos dominam o gigantesco território. Os amantes de plantações e de um clima do interior ficarão apaixonados de primeira. O cheiro dos vinhos e das uvas deixa ainda mais encantador a visita.

Nesse momento, é apresentado de forma bem simples e didática as diferenças das principais uvas disponíveis no local para fazer as bebidas. E claro, a degustação dos vinhos feitos delas acontece logo em seguida. Todos bem saborosos, deixando um gostinho de quero mais na boca.

Depois da pequena exposição, conhecer as gigantescas plantações e degustar dos deliciosos vinhos, a visita por uma das melhores vinícolas da rota do vinho termina no fabuloso restaurante Rayuela Wine & Grill. Apesar de ser um pouco caro a comida, ela é bem saborosa e entrega uma visão bem ampla dos vinhedos pela janela.

O tour pelo Viu Manent, incluindo degustação e passeio de carrete pelos vinhedos, custa 15 mil pesos chilenos.

Santa Cruz

Se você é amante do enoturismo e está de passagem pelo Chile, é imprescindível conhecer a lindíssima, moderna e muito bem estruturada vinícola Santa Cruz. Além dos vinhedos e degustação de ótimos vinhos, o local funciona como um gigantesco parque temático com diversas opções de lazer, diversão e conhecimento.

O começo do tour é por um simpático e pequeno museu de carros antigos da região. É uma parte até um pouco irrelevante, mas pode valer a pena para os amantes do automobilismo. Depois disso, vem um dos melhores passeios que os viajantes no Chile, a subida do bondinho pelo Cerro Chamán. Ao chegar ao alto da montanha, existe um interessante museu sobre a história do Chile, que é será um prato cheio para os amantes do tema.

Além disso, quando é de noite, é liberado o observatório para encher as principais constelações de estrelas no céu, uma experiência única para ser vivida. De lá de cima também temos a melhor visão possível sobre a área. É de encher os olhos a grandiosidade de tudo virando algo bem pequeninho visto lá de cima, é uma experiência única. É possível encontrar simpáticas e lindas lhamas perdidas.

Ao final, o tour vai até um incrível e grandioso casarão, onde temos um verdadeiro clima de vinícola bem estruturada e moderna, para provar dos gostosos vinhos.
O preço do tour será de 21 mil pesos chilenos.

Montes

Ao fim das melhores vinícolas do Vale do Colchagua, temos Montes. Surgindo em 1988, não sendo tão antiga em relação a outras, a vinícola é extremamente moderna, principalmente por sua missão inicial ser fazer uma revolução na produção da rota de vinho do Chile, e visualmente bela, com seus vinhedos e montanhas se completando, podendo enxergar isso na primeira vez que batemos na gigantesca região.

O tour é focado essencialmente no vinho, sendo assim, os amantes da bebida ficarão apaixonados do início ao fim. O passeio se inicia por um pequeno caminhão que leva pelos vinhedos, podendo ver toda a beleza das plantações de uva. Ele irá parar em um dos pontos altos do passeio, na sensacional, gigantesca e incrível vinícola de arquitetura contemporânea, que parece quase que um teatro pronto para receber uma peça, talvez seja a melhor de toda a rota do vinho do Vale do Colchagua. Lá dentro temos um ambiente bem bonito e com anjos e plantas distribuídas de forma que deixam o ambiente bem aconchegante.

Quando vamos para a área de pressurização e adegas nos deparamos com o vinho descansando ao som de nada mais, nada menos que canto gregoriano. Uma sensação esquisita, única, marcante e sensacional, é quase como uma trilha sonora de um filme épico, mas somente para uma melhor produção de vinho.

Dentro dessa vinícola citada anteriormente que é feita a degustação dos melhores e mais incríveis vinhos Premium. Sim, os vinhos do Montes possuem o sela Premium de qualidade.
O tour mais básico custa 14 mil pesos chilenos, já o mais extenso sai por 34 mil pesos chilenos.

Com essas experiências e informações citadas anteriormente, já é possível aproveitar as melhores vinícolas disponíveis na rota de vinho do Vale do Colchagua, no Chile. É uma sensação única e muito gostosa degustar do melhor do vinho chileno, em um ambiente fantástico e único. Os viajantes não irão se arrepender.

Curta Também => O que fazer no Chile: 5 regiões imperdíveis para você conhecer

Concha y Toro: tour na vinícola mais famosa do Chile

1 COMENTÁRIO

PARTICIPE! DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Por favor informe seu nome aqui