O que fazer em Santiago do Chile: dia 3

Tour Concha y Toro

Logo pela manhã fizemos o passeio até a vinícola Concha y Toro. Voltamos para Santiago sentido Bairro Bellavista e aproveitamos o almoço no tradicional restaurante Galindo. À tarde visitamos a casa e museu de Pablo Neruda La Chascona e, ainda no pique, subimos até o mirante, no topo do Parque Metropolitano. E para fechar o dia, demos uma volta no famoso bairro de Providencia.

O que fazer em Santiago do Chile: Concha y Toro

 

A Concha y Toro é a vinícola mais tradicional próxima à Santiago e o passeio é quase que obrigatório para qualquer turista, principalmente brasileiros. É tanto que agora eles oferecem a opção de tour pela vinícola com guia em português.

Adoramos a visita e recomendamos! O tour é acompanhado por um guia que explica um pouco sobre todo o processo de fabricação dos vinhos, desde a plantação de uvas até a conservação nas adegas. Fomos e voltamos da Concha y Toro de metrô e táxi – que é a melhor opção custo benefício. Veja como foi nossa experiência na Concha y Toro no post especial: Concha y Toro: tour na vinícola mais famosa do Chile.

 

Degustação de Vinhos na Concha y Toro
Degustação de Vinhos na Concha y Toro

 

Onde comer em Santiago do Chile – Galindo

 

Almoçamos no famoso restaurante Galindo que fica próximo ao Parque Metropolitano – travessa da rua Dardignac com rua Constitución no Bairro Bellavista . O restaurante bar é bem tradicional em Santiago, sempre cheio com comida e preços muito bons. Como estávamos no almoço, aproveitamos para experimentar o “Lomo a lo Pobre”, prato individual parecido com o nosso bife à cavalo.

 

Galindo
Galindo
Galindo -
Galindo – Lomo a lo Pobre

 

O que fazer em Santiago do Chile: La Chascona – museu Pablo Neruda

 

Pablo Neruda é uma das personalidades mais conhecidas no Chile. O poeta ganhou O Prêmio Nobel de Literatura em 1971. La Chascona é uma das casas que Neruda morou no Chile e foi projetada pelo próprio poeta para que ele pudesse se encontrar com sua amante, Matilde.  As iniciais do casal estão destacadas em vários detalhes da casa.

Curiosidade: Chascona significa “descabelada” e é uma homenagem à cabeleira de Matilde, a amada de Pablo Neruda.

Durante a construção Neruda se inspirou no projeto de um navio, então, toda a excentricidade do poeta é vista nos objetos inusitados, teto rebaixado, muita madeira, tudo lembrando um navio. Uma pena que é proibido tirar fotos dentro da casa.

O passeio antigamente era feito com um guia. Agora o museu disponibiliza áudio-guia (inclusive em português) e não é mais necessário reservar.

Para informações atualizadas sobre horários e preços:

 

Janela com inicias de Pablo e Matilde
Janela com inicias de Pablo e Matilde

 

La Chascona - Pablo Neruda

La Chascona – Pablo Neruda

Mural na frente do museu Pablo Nerura - La Chascona
Mural na frente do museu Pablo Nerura – La Chascona

 

O que fazer em Santiago: Parque Metropolitano

 

Fomos em direção ao Parque Metropolitano de Santiago do Chile também conhecido como Cerro San Cristóbal (o Cerro é o ponto mal alto dentro do parque) . Entramos pela rua Pío Nono em direção ao Funicular, mas ele estava fechado. Pegamos então um ônibus (disponível e gratuito devido ao fechamento do funicular) e subimos até o Cumbre, o topo do parque chamado do Cerro San Cristóbal e onde fica o mirante do Santuário da Imaculada Conceição.

Veja mais informações, dicas e fotos sobre o parque no post especial:

Depois de admirar por um tempo a vista panorâmica da cidade de Santiago, descemos o Cerro, a pé, até a entrada Pedro de Valdivia. O caminho poderia ter sido feito de teleférico, mas ele também estava fechado para manutenção. É uma boa pernada mas o caminho compensou. Passamos por diversos jardins, bosques e lindos mirantes.

 

Cerro San Cristóbal - vista de Santiago
Cerro San Cristóbal – vista de Santiago
Vista do Santuário Imaculada Conceição
A vista de Santiago do Santuário Imaculada Conceição

 

O que fazer em Santiago: Bairro Providencia

 

Seguimos em direção à Av. Providencia pela rua Pedro de Valdivia. No caminho muitas casas, ruas planas bem cuidadas e a travessia do rio Mapocho com um bonito parque linear no estilo boulevard. Já próximo à Av. Providencia passamos no famoso Bar Liguria. Existem algumas unidades espalhadas pela cidade e é uma boa opção de o que fazer em Santiago do Chile se você quer conhecer um lugar onde os locais e turistas frequentam bastante.

 

rua-providencia-parque-metropolitano
Rua no bairro Providencia
santiago-chile-bar-liguria
Bar Liguria

Chegamos na Av. Providencia, passamos em frente à muitos comércios como a famosa loja de Departamentos Falabella. Também aproveitamos para fazer uma parada no Café Dunkin Donuts que tem lojas espalhadas por toda Santiago.

Depois de curtir um pouco mais a região, voltamos para o hotel de metrô, cansados, mas com a sensação de que o dia em Santiago tinha rendido muito.

 

Despesas para duas pessoas:

  • Fundacion Pablo Neruda La Chascona:  7 mil pesos
  • Almoço Galindo: 15,5 mil pesos
  • Tour Concha Y Toro: 16 mil pesos

Providencia - parque linear no rio Mapocho

Providencia – parque linear ao lado do rio Mapocho

 

Continue lendo…

 

Veja Também:

Tudo sobre o Chile: moeda, documentos, fuso horário, clima, língua oficial e outras dicas

O que fazer no Chile: pontos turísticos e cidades

Roteiro Chile – 21 dias de viagem do ILoveTrip

Lagos Andinos (Puerto Varas e Pucón) – Roteiro, Dicas e Atrações

 

Vamos bater um papo com a gente? Deixe sua dúvida ou opinião nos comentários abaixo.
Gostou do post? Então assine nossa lista VIP abaixo e receba dicas e novidades do ILoveTrip.

PARTICIPE! DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, deixe seu comentário
Por favor informe seu nome aqui